You are currently viewing Janeiro Branco é tempo de reflexão sobre sintomas mentais e emocionais

Janeiro Branco é tempo de reflexão sobre sintomas mentais e emocionais

Campanha propõe repensar a vida e problemas que tem se repetido, mas podem ser mudados ao longo do ano  

O ano mal começou, mas já é tempo de alertar toda a sociedade sobre os cuidados com a saúde mental e emocional. Sintomas como estresse, depressão, ansiedade e pânico são alguns exemplos de como tais problemas podem se manifestar. 

De olho na conscientização, a sociedade civil e os governos (federal, estadual e municipal) promovem todo ano a campanha denominada “Janeiro Branco”. A ideia é não apenas alertar para o autocuidado, como também prestar atenção a dificuldades e sinais de alerta vindo de pessoas próximas. 

Segundo a administradora Tânia Zambelli, do CRA-MG, que é profissional de recursos humanos e presta mentoria para instituições de Minas Gerais, é preciso investir em programas que visam a melhoria do ambiente de trabalho. Programas ligados à qualidade de vida, como ginástica laboral, massagens relaxantes, palestras e mentorias são algumas das ações que podem ser tomadas, mas prestar atenção aos detalhes ainda é a principal recomendação.

“Tive uma cliente que veio para mentoria com problemas como consumo de ansiolítico e remédio para dormir, e com dificuldade de relacionamento com a liderança. A sobrecarga estava impactando o relacionamento dela com a equipe, e isso estava influenciando em tudo à sua volta”, narrou. 

Autocrítica

Tânia também alerta aos gestores para se sensibilizarem em relação à quantidade de trabalho dada aos colaboradores, pois esse é um dos principais causadores de sobrecarga à equipe e de problemas psicossomáticos relacionados ao trabalho. Ela conta que existe a tendência de o líder receber a demanda e já ir passando para seus liderados, de forma automática, por isso ela faz um alerta. 

“Eu ensino os meus clientes a questionarem, a dizerem que já tem atividades e perguntarem: ‘você está me passando mais essa tarefa?’ Ensino, ainda, a questionarem o que é prioridade. Por outro lado, o gestor precisa ficar atento a isso e definir quais são as prioridades para que seja entregue aquilo que de fato é importante”, diz. 

Dicas para manter a saúde mental (Fonte: PUC-RS) 

1. Pratique atividade física e durma tempo suficiente para descanso;

2. Tire um período para relaxar e avaliar os próprios sentimentos;

3. Invista em relações saudáveis

4. Pratique a comunicação não violenta (CNV)

5.Invista em soft skills como maturidade emocional e resiliência para lidar com atividades estressantes

6. Peça ajuda a amigos e conhecidos e procure ajuda profissional (psicólogo), caso seja necessário.

 

Fonte: Portal www.cfa.org.br